A Eklésia Ministério Internacional

Placa da Eklésia, Sede Cidade Operária.

A Eklésia Ministério Internacional é uma denominação brasileira independente, sediada em São Luís, Maranhão, Brasil.

Foi fundada em 23 de março de 2010 no bairro do Cohatrac, em São Luís.

 

 

Guilherme e Gláucia Rosane Tavares, pastores Seniores.

Os fundadores, e pastores seniores, são Guilherme e Gláucia Rosane Tavares. o casal preside a instituição juntamente com um corpo de pastores e líderes locais que auxiliam no discipulado de pessoas.

Atualmente está localizada na Unidade 205, RUA 205 SO, Quadra 10D, Número 121, Cidade Operária, São Luís-MA, CEP. 65.058-015

 

 

 

 

 

 

O Nome Eklésia – Etimologia

Baseados no texto de Mateus 16.18 “EDIFICAREI A MINHA EKLESIA”. Esta é a primeira em mais de cem referencias no NT que emprega a palavra grega para IGREJA.

A palavra Eklesia é formada pela preposição grega EK que significa “PARA FORA” e o verbo grego KALEO que significa “CHAMAR”.

Usualmente a palavra eklesia não é um termo que pode ser usado para um lugar, mas para as pessoas que foram designadas para tratar do assuntos de maior importância de uma cidade.

 

Projetos Sócio-culturais

SAEM – Sociedade dos Artistas Evangélicos do Maranhão: uma associação sem fins lucrativos que atua apoiando projetos culturais e criando leis de apoio à cultura evangélica, além de atuar como uma escola de música entre outras atividades artísticas;

 

 

CASA DE ZADOQUE é como uma Escola de treinamento artístico e missionário;

Revival, realizado anualmente na Casa de Zadoque.

MUDE – Movimento Universitário de Evangelismo: Tem o objetivo de recrutar os jovens cristãos dentro das universidades ateístas e fortalecê-los na fé, assim como alcançar jovens sem orientação espiritual ao conhecimento da Palavra de Deus.

Reunião do MUDE no UFMA.
Foto do edifício do Museu Huguenote Daniel de La Touche.

Museu Huguenote Daniel de La Touche: É o primeiro museu histórico-protestante da américa latina e que conta a história de fundação francesa da cidade de São Luís, Maranhão.

 

Escola Social Eklésia: É uma escola de apoio escolar que funciona no sítio da Eklésia, na Cidade de São Luís, no bairro Apaco, na Zona Rural da capital.

Grupo de Apoio e restauração – GAR: é um projeto que trabalha o a alma do indivíduo, como apoio psicológico e libertação de doenças psíquicas.

 

Clínica de Estratégia e Saúde da Mulher: é um projeto humanitário e voluntário, que tem como objetivo proteger a vida e a saúde da mulher em situação de risco, de violência doméstica e conscientização da vida como em outras áreas familiares.

 

O Credo

Submetida aos princípios da Bíblia, crendo no Credo Reformista: Só a Graça, só a Fé, só Cristo, só a Escritura e só a Deus dai Gloria.

Casas sobre a Rocha

img_0246

Mateus 7:24-29 – Sermão da Montanha

Falar de como os Europeus curtem descansar e fazer isso em família.
Esquecer o dia da semana é algo que nós nunca fizemos depois que deixamos de ser crianças.
É importante construir um tempo especial para a Casa: filhos, casa, esposa…
É importante fazer algo terapêutico que nos provoque à Calma, ao Cuidado, à Delicadesa. Exemplos: Regar o jardim, encontrar algo que necessite ser arrumado em casa, andar sem que seja para o Supermercado ou Padaria… Isso faz um homem ou mulher ser rico em Paz.

Parte das nossas casas estão sendo construídas sobre a areia. A tecnologia, redes sociais e a coisas sup;refluas estão se tornando cada vez mais orgânicas. A tendência é que elas se tornem parte natural das nossas vidas nos transformando em verdadeiros seres reagentes e não pensantes.

Mateus 7, final: 24-29
A ocasião é que Jesus estava jejuando 40 dias e 40 noites, completamente desconectado do mundo e depois recita este Sermão. Até hoje é considerado o melhor sermão de todos os tempos. Os capítulos 5, 6 e 7 são completamente cheios das palavras de Jesus.

Jesus usa imagens, ler este Sermão nos faz imaginas.
Casa, Areia, Rocha, Clima/elementos

Casa: Somos nós, vida, moral, reputação, quem você é. Se as pessoas abrissem a sua vida, isto seria o que as pessoas vêem.

Areia: costumava ser parte de uma rocha. É o que era e não é mais. Ela não pode ficar embaixo, ela é sólida, se move, não é confiável.

Rocha: Ensinamentos de Jesus, o próprio Jesus. Ela é inabalável, sólida, confiável, estável.

Elementos do clima: Vida e as pessoas.

Quando você construir a sua Casa, as pessoas virão e te mostrarão facilmente sobre qual terreno você está construindo a sua casa.

PRIMEIRO ASPECTO
Você precisa saber que, querendo ou não, está construindo uma casa.
Por causa da posição, papel na vida das pessoas. Pessoas não tem qualquer expectativa de vida. Isto não é falta de visão, pois às vezes, as pessoas não tem visão, mas estão esperando que algo aconteça. Porém, temos encontrado pessoas que não têm qualquer expectativa de que algo pode acontecer. Tem pessoas que não tem DESEJO nenhum de ter uma visão.
Todos aqui estão construindo a vida sobre a Areia ou a Rocha.

Eu gostaria de te inspirar a construir a sua Casa no terreno certo. Todos nós estamos construindo uma Casa que a próxima geração vai ver.

Na Bíblia, Casa está mais relacionada ao legado e gerações do que um prédio. Precisamos saber que a nossa vida importa muito e vai influenciar alguém que não conhecemos. Encontre um desejo ardente por fazer algo importante. Se você não tem, pegue o que temos e comece a fazer agora.

Quando Davi derrotou Golias, ele recebeu um legado que abençoou a sua descendência. Ele já havia sido ungido Rei, mas não podia exercer pois o Rei ainda era Saul. No entanto, mesmo ungido, ele continuou construindo e não descansou sobre o óleo que havia sido derramado sobre a sua cabeça.

SERGUNDO ASPECTO
Jesus disse: Quem houve esta palavra e as cumpre.
Isto é outra forma de CONSTRUIR. Quanta teoria nós temos e não usamos para nada. Quantos versículos conhecemos e não praticamos? Quanto da Bíblia viola as minhas filosofias e eu continuo fazendo?
Se você ouvir as palavras de Jesus e FIZER o que Ele diz, construirá a sua Casa sobre a Rocha.

A Lei diz que quem dorme com uma mulher que não é a sua esposa comete adultério e precisa morrer. Jesus disse que Aquele que VÊ e DESEJA uma mulher que não é a sua, comete adultério.
A pergunta é: Jesus anulou a Lei?
O que Jesus fez foi aumentar o PADRÃO da Lei. Aumentou o Nível.
A Graça tem um nível de Padrão bem mais alto do que a Lei teve.

Para construir um castelo sobre a Rocha precisa fazer isso.

TERCEIRO ASPECTO
Castelos de Areia são rápidos e lindos.
Mas você sabe que as melhores coisas do mundo não são feitas com velocidade. levam tempo para serem construídos. Então rapidez e qualidade não combinam.

ninguém pode pedir uma transferência de unção de PACIÊNCIA. Paciência é construída 100% sozinho. Tem coisas que levam muito tempo. Não existe sucesso da noite para o dia. O Youtube está cheio de vídeos que prometem sucesso rápido, mas isso não existe. Sucesso rápido é igual a SUPER FRACASSO.

Exemplo dos Atletas: Quanto tempo eles passam no anonimato? São 4 anos de muito treino e nós nem sabemos que eles existem até que venham as olimpíadas e eles fiquem famosos. Mas todo esse potencial foi construído devagar.

QUARTO ASPECTO
Como Deus constrói?

Como nós faríamos o desenvolvimento de um bebê no ventre materno?
Certamente eu começaria pelos pés. Eu iria fazendo de baixo para cima.
Deus resolveu começar pela cabeça e coração. O primeiro órgão funcional é o coração e a cabeça se desenvolve juntamente para depois nascerem os demais órgão e por último o esquento, embaixo da pele.
Deus começa pelo mais importante, coração e cabeça.
Ele faz isso para que tudo fique registrado naquele novo ser humano. Por causa disso, cada pessoa tem uma personalidade diferente.

A sua identidade precisa ser diferente da sua tarefa. A identidade é construída antes do corpo.
Talvez você pensa que o seu valor está em como você executa a sua tarefa. Ou o que as pessoas ao redor vão ver naquilo que você fez.
A pior coisa é comparar a sua tarefa com a de outra pessoa. Você o quanto está sem valor, quando você compara os seus resultados com o de outras pessoas.

Estamos pegando as Palavras de Jesus e vivendo? A minha vida é um castelo de areia? Minha vida é fraca ou forte?
Você está construindo sobre areia ou rocha?
A sua identidade está ligada á sua tarefa ou em quem você é em Deus?
CONCLUSÃO
Falamos sobre Avivamento, Mudar o Mundo e muitas coisas, mas falamos muito sobre INTIMIDADE COM DEUS para que você possa estar firme todos os dias.
A intimidade está totalmente relacionada com praticar as Palavras de Jesus.

Existem pessoas que se mantém de pé somente perto dos pastores da Igreja ou da Liderança. Eu sei que tem tempos em que precisamos de ajuda. Mas se esconder na multidão ou na sombra das pessoas não constrói um caráter aprovado.

Você precisa entender que a sua vida com Deus é mais que uma vida virtual de prestação de contas diária.
Somente construirá a sua casa sobre a Rocha aquele que manter uma Vida saudável com Deus e com os Irmãos.

Minha oração é para que Deu nos revele onde estamos construindo as nossas Casas. Então sim, podemos mudar o mundo.

 

Guilherme Tavares

A Terra Tem 4.600.000.000 de Anos ou Apenas 6.000?

A Terra Tem 4.600.000.000 de Anos ou Apenas 6.000?

Post - Idade da terraEm vários artigos anteriores eu tenho discutido Geo-cronômetros específicos que mostram cientificamente que a nossa terra, sistema solar, galáxia e universo são jovens, perfeitamente consistente com 6.000 anos. A razão de eu ter ido tão longe sobre este assunto é simples. A questão da idade, grande ou pequena, é a questão-chave no debate evolução-criação. Se a Terra fosse antiga, não faria da evolução verdadeira. Só significa que pode ter havido tempo suficiente para a evolução ter ocorrido. Se a terra é jovem, então nenhuma teoria da evolução poderia ser verdadeira.

O público em geral tem aceitado as grandes eras da terra e do universo defendidas pelos evolucionistas porque eles são mal-informados. O sistema de ensino público, dominado pelos humanistas seculares, ensinou para os aluno sobre sua religião e seus dogmas. A imprensa liberal e a igualmente liberal Hollywood promoveram o secularismo, baseados numa idade antiga para a Terra e o universo. Mesmo em escolas cristãs não há garantia de que o ensino da Terra jovem será ministrado cientificamente em seu currículo.

De uma forma mais geral vamos olhar para os indicadores da idade da Terra e do universo. Por que desafiar os pontos de vista de evolução estabelecidos e geralmente aceitos?

Primeiro, as pessoas tendem a estar erradas sobre as coisas. O estudo do pensamento humano ao longo do tempo tende a indicar que a opinião da maioria é normalmente (talvez sempre) errada. Lembre-se que a verdade não é determinada pelo voto. A verdade é a verdade, independentemente de quão poucos sabem o que é a verdade. Além disso, as coisas que são mutuamente contraditórias não podem ambos ser verdade, ao mesmo tempo.

Em segundo lugar, é o processo normal pelo qual nos movemos para a frente e em aumento de conhecimento. Em seu livro “A Estrutura das Revoluções Científicas” (1996), Thomas Kuhn observou que a ciência sempre avança pelo paradigma estabelecido, sendo questionada, e alguém trazendo evidências de uma nova visão que se torna tão atraente, que a nova exibição torna-se o novo paradigma estabelecido. Na ciência real nós questionamos, desafiamos e testamos todas as coisas.

Vamos questionar, desafiar e testar o evolucionismo. É uma visão que o peso da verdade apoia ou derruba?

Quem testa e decide tais coisas? Quem é qualificado para assumir tal tarefa? São cientistas que usam jalecos brancos e sobre pedestais de marfim, escondidos no mundo acadêmicos, os únicos dignos de tal tarefa? NÃO!

Existem cinco métodos de provas usadas por pessoas racionais para testar e determinar o que é verdadeiro. Resumidamente, esses métodos são: Científico, Matemático, Lógico, Estatístico e Bereano. A fim de que algo seja verdade deve ser provada por um ou mais destes métodos e não pode ser refutada por qualquer dos restantes.

O método científico, no qual eu fui treinado, é um bom método, mas muito limitado, pois só pode lidar com o aqui e agora. Ele não pode testar os acontecimentos históricos e não repetíveis. Por este motivo, não pode ser usado para provar a evolução ou a criação como verdade.

Se vamos questionar desafiar e testar o evolucionismo contra o criacionismo como mais podemos fazer? Podemos usar o método legal que se baseia em regras de provas e testemunhos apresentados perante um júri que irá julgar e estabelecer a verdade.

Quem pode se apresentar perante tal júri? Qualquer pessoa em pleno uso de sua inteligência humana normal e poder de raciocínio pode se apresentar perante tal júri. Qualquer pessoa que escolheu se apresentar perante qualquer júri tem idéias pré-concebidas, preconceitos e opiniões, mas eles juram ser tão imparciais como qualquer ser humano pode ser, e eles tem de julgar baseados unicamente nas provas e testemunhos apresentados, e não sob seus preconceitos pessoais.

Por isso, quase qualquer um é competente para se apresentar perante um corpo de jurados, a menos que eles sejam tão preconceituosos que não iriam mudar sua opinião pré-concebida, mesmo que tenham sido dadas provas suficientes de que a sua opinião pré-concebida estava errada. Em essência, qualquer um que diz: “Não me confunda com os fatos pois minha opinião já formada”, é um candidato reprovado para compor um júri. Você não precisa ser um cientista para julgar o que é a verdade.

Vamos aplicar o método legal de prova à um júri para eles irem apenas onde a evidência os leve, e apresente a eles os indicadores da idade da terra e do universo. Qual seria a sua decisão conjunta a ser tomada? Qual seria o seu julgamento para além de uma dúvida razoável?

Um júri analisa e compara as evidências, mostra e ouve as posições em conflito cuidadosamente demonstradas por advogados apresentando seus casos. O júri toma uma decisão baseada em evidências para determinar qual a posição que eles ouviram é a correta. Qual posição é a mais convincente.

O que é, hoje, a suposição dominante do evolucionismo? Eles DEVEM aceitar grandes períodos de tempo indocumentáveis, i. e., milhões e bilhões de anos.

Cabe a nós interpor uma rápida discussão sobre o que é mito e mágica. A palavra “mito” significa “história”. A palavra deriva da palavra grega “mythos”. Um mito ou uma história não tem que ser negativo, mau ou enganoso por natureza. Um mito é sempre um relato histórico alternativo (que supostamente ocorreu no passado), o que quer que seja. Todos os mitos que foram aceitos popularmente sempre foram “comprovados” por mágica de palco e não por magia negra.

O mito, a história da antiga (grande) idade da terra e do universo como dito pelos evolucionistas é exatamente o mesmo tipo de cenário. Há um mito contado sobre a grande idade das coisas e uma mágica de palco é aplicada à história para dar a ilusão de provas. Como isso é feito?

Primeiro, eles contam a história. Em segundo lugar, cuidadosamente reprimem ou ocultam os fatos reais que criaria um problema para a história. Terceiro, eles enfeitam os fatos que deveriam supostamente apoiar a história. Em quarto lugar, eles afirmam que tem como provar sua história.

Nós todos sabemos que o mágico que estamos assistindo, está manipulando as cartas de baralho, e ele está fazendo aquilo a fim de nos mostrar um truque de cartas enquanto ele nos conta uma história e acena sua  varinha “mágica” sobre eles. Ele está criando uma ilusão que nós gostamos de ver, porque não podemos fazer igual, mas todos nós sabemos que ele está fazendo aquilo mesmo, embora não possamos vê-lo como fazer. Ele faz com que a ilusão parece real para nós apreciar como entretenimento, uma diversão.

O mágico diz: “Veja, a carta que você escolheu, milagrosamente subiu para o topo do baralho!” Você viu as provas, então deve ser real. O mágico usou a ciência real e habilidade pessoal e aplicou-as em conjunto para produzir uma ilusão, para sustentar um mito. Se você não está preparado, se você não for atento às artimanhas do mágico, qualquer um pode ser enganado por um show de mágica bem executado.

A história da grande idade da Terra e do universo é um conjunto de espetáculos de mágica feito para enganar os ingênuos e aqueles que são intencionalmente ignorantes. Existe um grande conjunto de informações científicas censuradas que contradiz o evolucionismo. Existe uma grande quantidade de conhecimento sobre o assunto que não está disponível para a maioria das pessoas. Eles “detêm a verdade com injustiça.” (Romanos 1:18)

Nunca, jamais, obtenha a tua educação e conhecimento científico do: Canal de TV Estatal, Hollywood, Learning Channel, Animal Planet, Planet Kingdom, Discovery Channel, National Geographic ou da revista Time-Life. Eles vão te dar a programação que privilegia o mito dominante, sem contar os outros fatos conhecidos da ciência.

Hoje, os evolucionistas estão consciente e intencionalmente dizendo aos editores de livros didáticos para NÃO incluírem os fatos nos livros didáticos das escolas públicas, especialmente aqueles fatos que podem criar um problema ou que são difíceis para sua mitologia dominante superar.

Os antigos romanos tinham uma expressão que se traduz assim: “Para listar alguns, é preciso excluir todos os outros.”

Se você só publicar os fatos e histórias que apoiam a sua visão de mundo, você está excluindo esses fatos que refutam isso. Há uma grande quantidade de fatos científicos censurados!

Quais são os indicadores de idade da terra e do universo? Os indicadores de idade são os mesmos para os evolucionistas e criacionistas. A diferença é se você está disposto a considerar todos os detalhes ou se você deve esconder os fatos a fim de exacerbar os demais. A coisa toda é baseada na extrapolação dos dados observados, uma extrapolação a partir de fatos reais. Esses dados são então extrapolados para o tempo passado através da utilização de um mito, uma história.

Aplique isto a vários supostas tecnologias científicas de datação, como métodos de datação radiométrica, aqueles que se baseiam unicamente na decadência de elementos radioativos. Estes métodos propõem a utilizar as taxas de declínio conhecidos atualmente como materiais radioativos, tais como urânio e chumbo, a fim de tirar conclusões sobre a antiga idade da terra.

Os evolucionistas olham para uma pedra pesando 0.45kg. Se a proporção de urânio-238 e Chumbo-206 na rocha forem de 50% a 50%; a taxa medida do declínio radioativo do urânio 238 é 4.5 bilhões de anos de vida; os evolucionistas dizem a todos que todo o chumbo-206 veio do declínio do urânio 238: portanto, a pedra (e da terra onde foi encontrada) deve ser 4,5 bilhões de anos. Isso tudo soa bastante plausível.

O mito (história) transforma a rocha (por mágica de palco) em evidência para uma idade antiga da terra. Temos visto as provas, por isso deve ser verdade. Parece tão simples, deve ser verdade!

Entenda que a extrapolação não é uma coisa ruim e tem muitos usos benéficos. A extrapolação super-simplificada que deixa de fora importantes fatos torna-se ilusionismo e intencionalmente enganador!

Muitas pequenas verdades levam a conhecer toda a verdade. Uma definição de ciência é: “Aceitos, escolhidos, sistematizados, fatos formulados que podem ser úteis no trabalho, na vida ou na busca da verdade.” As pequenas verdades que mais e mais nos aproxima da grande verdade.

Se você lêr o maior número de estudos de investigação científica, relatórios, projetos e programas de estudo, do jeito que eu leio, você chegará à conclusão óbvia de que a maioria é de investigação destinada a tentar explicar as provas, em vez de investigação destinada a explorar evidências mais profundamente. Pior ainda, a ciência tal como é praticada pelos evolucionistas hoje não é mais a busca de maior conhecimento, mas unicamente uma busca do próximo financiamente público!

Precisamos rever os processos de datação radiométrica. Os evolucionistas reprimem evidências, selecionando datas que, quando publicadas, criam a ilusão de que eles têm evidência sólida. O que o público em geral desconhece é que os evolucionistas não usam processos de datação radiométrica para determinar a idade de qualquer coisa; mas, eles usam datas radiométricas selecionados para apoiar uma conclusão prévia através do uso de mágica de palco.

Se você adicionar novamente a informação reprimida pelos evolucionistas, toda a questão da confiabilidade das técnicas de datação radiométrica é drasticamente alterada.

Quais são as premissas falsas necessárias que os evolucionistas usam para sustentar suas conclusões feitas anteriormente? Primeiro, eles têm que saber, ou fingir que sabem, o estado original dos isótopos envolvidos. Eles têm de saber o quanto de urânio e chumbo estavam lá para começar. Ninguém pode saber isso com certeza, porque eles não estavam presentes quando a rocha se originou. Os evolucionistas olham para o que eles têm e, em seguida, escolhem projetar para o passado o que eles acreditam que deveria ter sido originalmente, a fim de apoiar os seus resultados previamente desejados.

Em segundo lugar, eles assumem uma taxa de declínio constante, consistente ao longo do tempo. Terceiro, eles assumem um sistema fechado. Eles assumem que o urânio e chumbo não podem migrar para dentro ou para fora da rocha ao longo do tempo. Claro, ninguém pode saber dessas coisas por serem verdadeiras, mas por serem apenas suposições.

Um pesquisador da Austrália fez um experimento no qual ele colocou rochas contendo urânio em uma calha de água corrente e observou que os índices de urânio para chumbo mudaram tão rápido que – de acordo com as crenças evolutivas – a rocha foi envelhecendo à uma taxa de 100 mil anos para cada mês que a rocha foi exposta à água corrente.

Há falhas graves nas técnicas de datação radiométrica!

Uma vez alguém perguntou à um notável especialista em técnicas de datação radiométrica sobre “qual era o melhor método a ser usado para determinar a idade de uma rocha”. Sua resposta? “Depende da idade da rocha.” O quê? Ele passou a explicar que o método que ele escolhia dependia da idade presumível da rocha! Em outras palavras, é preciso saber a idade da rocha antes de testá-lo! Se você usar a técnica errada ela vai te dar uma data errada, isto é, uma data que não coincide com o que você deseja “autenticar”.

Como eles autenticam, como eles validam uma idade “aceitável” para qualquer rocha? Uma vez que eles tenham selecionado qual o método radiométrico vão usar, baseado na suposta idade que eles desejam validar, eles não podem usar qualquer dos outros métodos para validar os primeiros resultados, porque os dois não vão concordar um com o outro. Elesficam numa situação insustentável. Se eles escolheram um método, excluem todos os outros métodos.

Como eles  autentificam sua idade “aceitável” para uma rocha? Eles só podem fazê-lo de uma única maneira. Eles atribuem uma idade a uma rocha pela fé. Eles, então, selecionam um método radiométrico especificamente conhecido, para “achar” uma data que vai alinhar com o que eles queriam. E por último, eles rezam a qualquer deus que costumam rezar, implorando para que ninguém descubra o que eles fizeram.

Uma vez que eles realmente não podem paresentar uma prova legítima utilizando processos de datação radiométrica, qual é o principal método de prova que os evolucionistas usam para atribuir idades a camadas de rochas e formações? Eles voltam para o método estratigráfico.

O que é método estratigráfico e como ele funciona? Funciona assim. Os evolucionistas têm fósseis que eles “sabem” que tem uma certa idade, de acordo com a “sua” teoria particular da evolução. Sempre que encontram esses fósseis específicos, que dizem ter 295 milhões de anos, em uma certa camada de rocha, um certo estrato, então, obviamente, aquela camada de rocha também tem que ter 295 milhões de anos.

Claro, pode-se justamente perguntar como eles “sabem” que esta espécie de fóssil em particular, representa um período de tempo que ocorreu a 295 supostos milhões de anos atrás? Bem, isso é simples. Nós a encontramos em uma camada de rocha, que tem 295 milhões de anos!

Isso tudo é puro raciocínio circular, que se perpetua.

Por favor veja mais uma vez. Os evolucionistas datam os estratos (camadas de rocha) pelos fósseis que foram encontrados nelas. Em seguida, eles datam os fósseis pelos estratos em que foram encontrados.

Conclusão: O que observamos sobre a maneira pela qual os evolucionistas obtém “prova” para uma terra antiga? É tudo baseado numa obviamente falsa forma de raciocínio circular. Em nenhum lugar do mundo as camadas de rocha contendo fósseis estão na ordem ilustrada nos livros escolares. Na realidade, as camadas fósseis são, de acordo com a filosofia da evolução, encontradas de cabeça para baixo, de trás pra frente, fora de ordem ou entrelaçadas, no todo inteiro. A coisa toda é mito, história, assunção e conto-de-fadas, comprovada por bons mágicos de palco.

A evolução é baseada em uma longa sequência de premissas não provadas e improváveis ​​construída para apoiar uma doutrina que não tem nada a ver com a evidência científica real. A evolução é baseada em uma longa sequencia de hipóteses não comprovadas e improváveis, a fim de sustentar uma visão filosófica do mundo que querem acreditar é correto, mas é evidentemente ilógico.

Os evolucionistas usam a lógica circular contínua para inflexivelmente “comprovar” o seu resultado previamente determinado, por causa da preferência de quem desenvolve e mantém o seu sistema filosófico. Como é que um evolucionista defende sua posição? Eles defendem a sua posição pela fé, e somente pela fé!

Estamos realizando um julgamento com jurados.

Quais são alguns dos outros indicadores da antiga idade da terra; a evidência dada pelos evolucionistas que apóia esses indicadores, e qual é a informação que eles reprimem ou ocultam que contradiz seu mito, sua história?

A sequencia de declínio radioativo, a cadeia de declínio, de Urânio 238 instável ao chumbo estável 206 requer 14 passos (links) com uma meia-vida de 4,5 bilhões de anos. Uma vez que as rochas são encontradas, que contêm urânio e chumbo, os evolucionistas assumem que as rochas devem ser muito antigas.

O que eles estão deixando de fora? Oito dos 14 passos neste processo de decomposição ocorrem quando uma partícula alfa é emitida a partir dos diversos isótopos radioativos contidos na rocha. Cada vez que uma partícula alfa é emitida, é com uma certa força específica, a qual faz com que a partícula alfa percorra uma determinada distância específica dentro da rocha. Se a rocha é uma rocha clara, i.e., mica, quartzo, topázio ou zircão, em seguida, quando as partículas param, eles deixam um esboço esférico escuro em torno do centro radioativo. Cortando através do centro das esferas escurecidas eles expõem o centro rodeado por círculos concêntricos, chamado halos, ou “anéis” em torno dele.

Cada um dos isótopos radioativos intermediários que vem do declínio do urânio 238 acabam produzindo chumbo. Todos eles produzem chumbo! Muitos destes isótopos intermediários declinam rapidamente de uma para a outra, porque eles têm uma meia vida muito curta.

Trabalhando reversamente a partir do chumbo 206 até Urânio 238 a sequencia completa de declínio teria oito halos ao redor do centro radioativo. Se encontrar menos do que oito, então o material radioativo inicial não era Urânio 238, mas um dos outros isótopos de baixo da linha ao longo da cadeia de declínio. Se encontrarmos menos de oito halos então a rocha é mais jovem do que os evolucionistas afirmam. Simplesmente porque temos Chumbo 206 não quer dizer que ele teve que vir de um isótopo do urânio!

Descobrimos trilhões de pequenos centros de chumbo em porções de rochas claras de granitos e outras rochas encontradas em toda a superfície da Terra, que tem apenas três halos presente. Esta evidência física prova que o isótopo radioativo inicial era de Polônio 218, não Urânio 238. Estes três halos foram produzidos quando partículas alfa foram emitidas pela decomposição de Polônio 218, Polônio 214 e Polônio 210, deixando Chumbo 206.

O Polônio 218 tem uma meia-vida em média de 3,05 minutos. Uma quantidade inicial deste isótopo de qualquer tamanho irá se decompor completamente em menos de uma hora. O Polônio 214 tem uma meia-vida em média de milésimos de segundo. Uma quantidade inicial deste isótopo de qualquer tamanho irá se decompor completamente em menos tempo que leva para piscar um olho. O Polônio 210 tem uma meia-vida em média de 138 dias. Uma quantidade inicial deste isótopo de qualquer tamanho irá se decompor completamente em menos de cinco anos.

É óbvio que, para os halos de Polônio serem visíveis, devem ser feitas em rochas duras e claras. Estes halos não podem se formar em gás ou líquido. Para encontrar os halos de Polônio 218, o material radiativo e a rocha dura e clara devem ser criados ao mesmo tempo, porque o relógio de decomposição radiativa começa a dar sinais imediatamente.

Para que o halo de Polônio 218 seja visível, ele deve começar a escurecer a rocha durante a primeira metade da vida ou não haverá partículas alfa emitidas suficientes para visivelmente escurecer a rocha. Os dois primeiros halos de Polônio 218 e 214 devem formar completamente dentro de uma hora de sua criação por causa de suas meias-vidas extremamente curtas. O halo de Polônio-210 deve escurecer a rocha dentro dos primeiros 138 dias de sua criação. Claro, todas essas se sobrepõe no tempo também,  então todos os três halos deve tornar-se visíveis dentro de 138 dias da criação inicial.

Os trilhões de Polônios 218, Polônios 214, Polônios 210, Chumbo 206, que são encontrados na superfície da terra e dentro de suas crostas duras, nos dizem cientificamente que a superfície da terra e sua crosta foram criados fria e rigidamente em menos entre 1 segundo e 3,05 minutos, de início de tempo. Os Halos de Polônio 218 não dizem quantos anos a Terra tem, mas dizem que a Terra foi formada instantaneamente.

Esses Halos de Polônio são as impressões digitais do Criador encontrados em no mundo inteiro. São suas impressões digitais para provar que Sua mão formou a Terra “No Princípio”.

Também mostramos que os muitos isótopos radiativos de curto prazo se decompõe no Chumbo 206 dentro de minutos ou dias. Em rochas não-claras (este descreve a maioria das rochas sobre, e dentro da terra), não podemos ver os halos, mas podemos medir a quantidade de chumbo presente. Como não podemos ver os halos, não podemos saber se o chumbo presente foi criado como chumbo, ou se ele foi produzido pelo declínio de isótopos de meia-vida curta. Em outras palavras, a maior parte do chumbo que encontramos, em especial nos depositos de urânio, podem ter vindo à partir do declínio desses isótopos de meia-vida curta, mas a sua decomposição teria sido completa no passado. Esta decomposição não iria deixar nenhuma evidência física que estes isótopos de meia-vida curta já existiu nas rochas.

Qual é a nossa conclusão a se tomar? O que um júri diria sobre esta prova física?

Se a Terra tivesse um ano de idade, então quase 100% do chumbo presente na superfície e no interior da crosta terrestre teria sido produzido como o resultado da decomposição dos isótopos radiativos químicos de meia-vida curta instáveis.

Se a Terra tiver 6.000 anos de idade, então quase 100% do chumbo presente na superfície e no interior da crosta terrestre teria sido produzido como o resultado da decomposição dos isótopos radiativos químicos de meia-vida curta instáveis.

Nem tudo que reluz é ouro e nem todo chumbo produzido veio do urânio!

Só reprimindo ou negligenciando a existência e o efeito de isótopos de meia-vida curta no passado pode acabar forçando uma conclusão de uma idade antiga para a Terra.

Se você corrigir o urânio-chumbo, potássio-argônio, rubídio-estrôncio e outros métodos de decomposição radioativa que os evolucionistas usam para sustentar a teoria da enorme idade da terra, e incluir o efeito de todos os isótopos de meia-vida curta em suas respectivas sequencias decomposição, todos eles admitem uma idade muito jovem para a Terra.

Corrigindo o método urânio-chumbo, as rochas mais antigas da Terra teria 9.600 anos de idade!

Corrigindo o método potássio-argônio, as rochas mais antigas da Terra teria 7.800 anos de idade!

Corrigindo o método rubídio-estrôncio, as rochas mais antigas da Terra teria 5.600 anos de idade!

Nenhum desses métodos produz uma idade perfeitamente precisa para a terra, porque não sabemos o quanto do produto final foi criado ou foi produzido pela decomposição. Nós sabemos que todos eles são consistentes com uma terra jovem!

Com base na quantidade de carbono 14 no sistema de terra; conhecendo a quantidade de carbono 14 que está sendo produzido e se decompondo na natureza, começando com zero carbono 14 na atmosfera da Terra, então a atmosfera da terra tem que ter menos de 12.000 anos. Se havia algum carbono 14 criado no início da terra, então a terra poderia facilmente ser mais joven, perfeitamente consistente com uma idade de cerca de 6.000 anos.

Dr. Robert Whitlaw, do Instituto Politécnico da Virginia, recalibrou 20.000 idades do Carbono 14 escolhidos aleatoriamente, publicados por evolucionistas. Ele descobriu que, corrigindo o método Carbono 14, quase nenhuma da amostras tinha morrido antes de 6.000 a 7.000 anos atrás, e que 90% de todas as amostras tinha morrido quase ao mesmo tempo – pouco menos de 5.000 anos atrás!

A Bíblia registra que um dilúvio global matou quase toda a vida na Terra,e que ocorreu cerca de 4.500 anos atrás. Esta seria uma causa perfeitamente adequada para o efeito que o Dr. Whitlaw descreve.

Se você incluir as informações reprimidas ou negligenciadas sobre o carbono 14, parece que a vida na terra começou há cerca de 6.000 anos atrás, e que grandes quantidades de formas de vida pereceram cerca de 4.500 anos atrás. Esta informação é perfeitamente consistente com a criação de todas as formas de vida cerca de 6.000 anos atrás, e as enchentes catastróficas da terra pelo dilúvio de Noé, cerca de 4.500 anos atrás.

Qual é a próxima apresentação para o júri?

No sistema solar, temos os cometas de curto duração. Cometas, independentemente do seu tamanho inicial, perdem cerca de 5% da sua massa cada vez que orbitam em torno do sol. Obviamente, seria necessário apenas de 20 a 25 órbitas para destruir qualquer cometa de curta duração. Não existe nenhuma fonte conhecida, visível ou comprovada de novos cometas e todos os cometas de curta duração são destruídos em menos de 10.000 anos.

Qual é a nossa conclusão?

A conclusão deve ser que o sistema solar tem menos de 10.000 anos de idade, porque os cometas de curta duração ainda existem!

Qual é a próxima apresentação para o júri?

O planeta Júpiter tem uma lua chamada Io. Io é o único outro objeto em nosso sistema solar, além da terra, que é conhecido por ter vulcões ativos em sua superfície. Os vulcões de Io, no entanto, são muito maiores que os nossos.

Um dos vulcões de Io ejeta material à 386 quilometros de altura. Olhando à partir da superfície de Io, o nosso sol parece um pontinho estelar no nosso céu. O calor do nosso sol não pode aquecer Io o suficiente para causar vulcões. Io é muito menor que a terra. Quanto menor for um objeto, mais rápido ele perde calor. A atividade vulcânica em Io Io prova que ela é jovem. O calor remanescente dentro de Io deve vir do momento de sua criação inicial, com resfriamento que ocorre no presente. Se Io fosse velha já seria completamente fria.

Qual é a nossa conclusão? O que um júri diria para esta prova física?

Com base na atividade vulcânica na superfície de Io, e a perda de calor do interior para o espaço exterior, Io tem que ser jovem! Se Io for jovem, então o planeta que orbita Júpiter, também tem que ser jovem!

Qual é a próxima apresentação para o júri?

Quando fomos à Lua em 1969-1972, descobrimos quatro coisas que indicam uma idade jovem para a nossa lua.

Muitas pessoas debatem sobre a falta de poeira na lua. Na década de 1960 evolucionistas achavam que deveria ter de 9.14 a 91.44 metros de poeira na lua. Esta foi uma conclusão natural da hipótese deles que a Lua tinha 4,5 bilhões de anos, e que veio acumulando poeira do sistema solar durante esse suposto período de tempo. O que encontramos foi apenas aproximadamente de 2.54 à 7.62 centímetros de poeira acumulada em sua superfície. Muitas pessoas se agarraram muito rápidos nesta informação e declararam que isto “provou” a Lua tinha apenas 6.000 anos de idade.

Desde os anos 1960 a quantidade real de poeira do sistema solar tem sido melhor determinada com mais precisão e percebeu-se as estimativas da década de 60 eram bastante exageradas. Há muito menos poeira no sistema solar do que tinha sido pensado antes. Mesmo assim este fato ainda permanece como um testemunho de que a lua/terra/sistema solar são jovens. Mesmo que isso não  prove categoricamente que a lua tem apenas 6.000 anos de idade, no entanto prova que a Lua é tem menos de 200 mil anos de idade, muito mais jovem do que as idades estimadas pelos evolucionistas.

Em segundo lugar, encontramos três isótopos radioativos na superfície da Lua, parte da rocha lunar original e que não estava lá por causa de algum impacto, e que não poderia estar lá se a Lua fosse antiga. Encontramos grandes quantidades de tório 230 (meia-vida calculada em 75.400 anos), urânio 236 (meia-vida calculada em 23,4 milhões de anos) e netúnio 237 (meia-vida calculada em 2.144 mil anos). Depois de nove ou dez decomposições da meia-vida, não deveria haver material suficiente para se obter uma leitura significativa. A existência destes isótopos na lua demonstra que ela é jovem.

Você deve se lembrar nas suas aulas de ciências do ensino médio de que quanto menor é o objeto, mais rápido ele perde calor. Como um exemplo comparativo de tamanho, se a terra fosse do tamanho de uma bola de basquete, a lua seria do tamanho de uma bola de tênis. Somos capazes de medir a quantidade de calor que a lua absorve do sol e a quantidade de calor que ela irradia para o espaço todos os dias. A lua ainda está quente por dentro e ela irradia mais calor do que absorve. Se a lua fosse muito antiga já teria virado uma rocha fria no seu interior. Portanto a lua tem que ser jovem.

Tenho certeza que você já olhou para a lua alguma. Também tenho certeza que você já percebeu que ela está se afastando da terra. Não? Onde estão os teus poderes de observação? Sim, a lua se encontra hoje à 354 mil quilometros da terra. A força de atração gravitacional entre a terra e a lua é de 2×1.016 (20,000,000,000,000,000 = 20 mil bilhões) de toneladas de força. No entanto, a lua está se afastando da terra a uma incrivelmente rápida taxa de 5 centímetros por ano.

Talvez você não tenha se sentido impressionado, mas você deveria ter ficado. Se a lua tem apenas 6.000 anos de idade, então ele só se afastou cerca de 30.480 centímetros, ou seja, cerca de 304 metros, desde a sua criação. Essa quantidade não é muito, em comparação com a atual distância de 354 mil quilômetros. Mas se usarmos as hipóteses evolucionistas em relação ao tempo e calcular ao contrário, que a lua vem se movendo em direção à terra desde o início, em 5 cm por ano, então a força gravitacional iria aumentar continuamente na medida que a lua se aproximasse da terra.

A lua iria “rapidamente” espiralar em direção à terra muito menos do que 1,4 bilhões de anos atrás. A lua não poderia jamais se aproximar da terra mais do que 18.500 quilômetros (o limite de Roche) ou as forças gravitacionais a despedaçariam e daí nós teríamos um anel em volta da terra, não uma lua. Além disso, há o efeito da lua sobre as marés do oceano. Se você tem 20 quatrilhões de toneladas de força, você pode mover uma imensa quantidade de água. Se a lua continuasse se aproximando da terra, então quando chegasse a 80.450 quilômetros de distância, as marés subiriam 1.500 metros de altura.

Se as marés tivessem sido sempre muito maior do que são realmente, a consequencia teria sido erosões que teriam eliminado os continentes num curto espaço de tempo. As taxas de erosão em cada continente na terra teriam erodidos os continentes ao nível do mar em apenas 14 milhões anos.

Temos mais de 270 desses argumentos científicos em defesa de uma terra, sistema solar, galáxias e universo jovens. Você decide!

Os evolucionistas afirmam que a terra é muito antiga por causa dos fósseis que estão contidos nas camadas de rochas sedimentares que se encontram por toda superfície terrestre. Você só encontra fósseis em camadas de rochas sedimentares.

De onde vem a palavra “sedimentar”? Ela vem da palavra “sedimento”, que é uma palavra pomposa para “lama”. Rocha sedimentar pode ser descrita com precisão como lama completamente seca. Camadas de rochas sedimentares podem ser descritas como camadas de lamas secas que se tornaram em camadas de pedra.

O que observamos sobre as camadas fossilizadas que cobrem toda a terra? Entre 75 e 80% de toda a superfície da Terra é coberta por camadas de lama ressecada contendo os restos fossilizados de bilhões de plantas e animais mortos por afogamento. Por acaso isso soa como um acúmulo lento e gradual ao longo de milhões e milhões de supostos anos, ou o resultado que você esperaria encontrar após um ano de um dilúvio na terra inteira?

O que mais observamos sobre o registro fóssil? Todos os tipos de fósseis são encontrados de forma completamente desenvolvida, pronta. Nós nunca encontramos um animal, planta ou até ser-humano em transição, isto é, nunca foi encontrado um fóssil que é parte de um tipo e parte de outro tipo. Nós nunca encontramos um metade-vaca e metade-baleia, embora os evolucionistas afirmam que vacas se transformaram em baleias. Apesar de todas as afirmações que os evolucionistas já fizeram nos jornais, TV e livros didáticos, nunca foi encontrado uma forma de transição nos registros fósseis.

Muitas afirmações são feitas de que formas em transição foram encontradas, mas o que raramente se ouve são todas as retrações que ocorreram meses ou anos mais tarde. Mesmo os três maiores conhecidos paleontólogos evolucionistas dos últimos 100 anos, Dr. Stephen J. Gould (o marxista da Universidade de Harvard), Dr. Niles Eldridge (do Museu Americano de História Natural) e Dr. Colin Patterson (do Museu Britânico de História Natural), todos têm afirmado em seus documentos que não existem formas transicionais encontradas no registro fóssil.

Charles Darwin escreveu em Origem da Espécies que a falta de fósseis em transição, eram na verdade, o maior problema para sua teoria. Em 1979, o Dr. Colin Patterson escreveu uma carta contendo a seguinte declaração:

“Concordo plenamente com seus comentários sobre a falta de ilustração direta de transições evolucionárias em meu livro. Se eu soubesse de alguma, fóssil ou viva, eu certamente teria incluído. Você sugere que um artista deve ser usado para visualizar tais transformações, mas onde é que ele conseguiria tal informação? Eu não poderia, honestamente, fornecê-lo, e se eu permitisse ele usar a licença artística, isto não iria enganar o leitor? Eu escrevi o texto do meu livro há quatro anos. Se eu fosse escrever ele agora, acho que o livro seria bastante diferente. O gradualismo é um conceito em que acredito, não apenas por causa da autoridade de Darwin, mas porque o meu conhecimento da genética parece exigir isso. No entanto é difícil contradizer o [Dr. Stephen J.] Gould e o pessoal do museu americano quando dizem que não há fósseis em transição. Eu mesmo, como paleontólogo, estou muito ocupado com os problemas filosóficos em identificar formas ancestrais no registro fóssil. Você diz que eu deveria pelo menos mostrar uma foto do fóssil à partir de qual cada tipo de organismo surgiu. Vou ser franco – não há sequer nenhum um desses fósseis que se poderia usar para fazer um argumento inequívoco. A razão é que as declarações sobre ascendência e descendência não são aplicáveis ​​no registro fóssil. O arqueoptérix é o ancestral de todas as aves? Talvez sim, talvez não. Não há nenhuma maneira de responder à pergunta. É muito fácil inventar histórias de como uma forma deu origem à outra, e encontrar razões pelas quais as etapas devem ter sido favorecidas pela seleção natural. Mas essas histórias não fazem parte da ciência, pois não há nenhuma maneira de prová-las. Assim, tanto quanto eu gostaria de obrigá-lo, me agarrando à defesa do gradualismo, e consubstanciar as transições entre os principais tipos de animais e plantas, me acho menos capacitado de justificação intelectual necessária para esse trabalho… “.

Pelo menos o Dr. Patterson foi um evolucionista honesto. Vamos dar crédito à quem merece.

Além disso, os fósseis e as camadas de lama seca onde eles estão não são encontrados na sequencia certinha e arrumadinha mostrada nos livros didáticos das escolas públicas. De acordo com a teoria da evolução, as camadas sedimentares são encontradas fora de ordem, de cabeça para baixo, faltando onde deveriam estar, e atravessando a “mais antiga” e “a mais jovem”, e repetindo isso em sequência.

As ilustrações da sequencia fóssil evolutiva corretamente organizada, a chamada Árvore da Vida, que mostra a evolução de rochas para organismos vivos, de organismos vivos simples evoluindo para o complexo,  é apenas isso: uma ilusão. Em parte alguma da terra pode a sequancia ilustrada nos livros escolares são encontradas no solo. Elas não existem! A sequencia organizada da evolução que ocorreu no passado é uma invenção da imaginação. Ela não existe!

Uma análise das sequencias de fósseis feitas pelo Dr. Kurt Wise, antes da Faculdade Bryan, no Tennessee, e agora no Seminário Teológico Batista do Sul, em Louisville, Kentucky, mostrou que há uma sequencia quase aleatória de fósseis no solo em comparação com a sequencia em ordem de evolução. As evidências físicas refutam alegações evolutivas. O que os evolucionistas pensam e dizem sobre a evidência fóssil é irrelevante para o que existe realmente no chão.

O júri está considerando cuidadosamente as provas apresentadas?

Como os evolucionistas montam o registro fóssil na tentativa de provar que a evolução é verdade?

Em primeiro lugar, aqueles que acreditam no evolucionismo dizem que pela fé a evolução é verdadeira e que a terra tem bilhões de anos de idade.

Em segundo lugar, eles desenterram fósseis em vários locais ao redor do mundo.

Em terceiro lugar, eles organizam esses fósseis na ordem que eles querem!

E, finalmente, eles afirmam que a ordem reorganizada dos fósseis provam que eles estão certos!

Bom assim é fácil não é? Se for permitido que eu reorganize as provas, então eu posso provar  qualquer coisa que eu quiser. Não é verdade?

Uma das imensas diferenças entre um cientista evolucionista e um cientista criacionista é que o criacionista não reorganiza as evidências e o cientista evolucionista sim! O criacionista não tem motivos para reorganizar as provas. O criacionista não se preocupa com a prova que encontra, se ele a entende ou não, se ele vai um dia entender, ou vai ter que esperar pelo Criador voltar um dia e revelar o significado para ele. O criacionista acredita que qualquer evidência que encontra honestamente, será consistente com um Deus Criador.

O evolucionista, no entanto, precisa reorganizar as provas antes de anunciá-la e isso é uma diferença monstruosa!

…………….

Será que vocês, júris leitores, já formaram um veredito? Será que as provas apresentadas estão em conformidade com uma terra antiga, ou uma terra jovem? Será que o registro fóssil está em conformidade com o evolucionismo ou o criacionismo? O que as nossas observações nos dizem?

O apóstolo Paulo escreveu em Romanos 1: 18-25:

“Porque do céu se manifesta a ira de Deus sobre toda a impiedade e injustiça dos homens, que detêm a verdade em injustiça. Porquanto o que de Deus se pode conhecer neles se manifesta, porque Deus lhe manifestou. Porque as suas coisas invisíveis, desde a criação do mundo, tanto o seu eterno poder, como a sua divindade, se entendem, e claramente se vêem pelas coisas que estão criadas, para que eles fiquem inescusáveis. Porquanto, tendo conhecido a Deus, não o glorificaram como Deus, nem lhe deram graças, antes em seus discursos se desvaneceram, e o seu coração insensato se obscureceu. Dizendo-se sábios, tornaram-se loucos. E mudaram a glória do Deus incorruptível em semelhança da imagem de homem corruptível, e de aves, e de quadrúpedes, e de répteis. Por isso também Deus os entregou às concupiscências de seus corações, à imundícia, para desonrarem seus corpos entre si; Pois mudaram a verdade de Deus em mentira, e honraram e serviram mais a criatura do que o Criador, que é bendito eternamente. Amém.”

Paul era um advogado, um advogado defensor da Torá. Ele usou métodos de persuasão jurídica para convencer as pessoas das verdades da criação, sua necessidade de reconhecer o Criador revelado na Bíblia e sua necessidade de um Salvador.

Paulo disse que a ira de Deus vem contra aqueles que prende a verdade na injustiça. Como ele pode justificar a sua afirmação de que há aqueles que “detêm a verdade em injustiça”? Ele diz que Deus se fez evidente para eles. Como Paulo pode dizer que Deus se fez evidente para eles? Ele diz porque o que se sabe sobre Deus torna-se óbvio a eles através das coisas que Ele criou. Paulo usa o argumento do design (projeto). Ele diz que, desde que obviamente, nós vemos objetos criados, então devemos saber que existe um projetista/criador.

Paulo argumenta que os evolucionistas não têm desculpa, razão, ou defesa. Paulo diz que eles se apegam cegamente às suas crenças, apesar das evidências em contrário. Em um contra-argumento, Paulo ressalta que os cristãos têm uma fé baseada em evidências. Os cristãos têm uma pretexto, umaa razão e uma defesa.

Paulo pressiona com o argumento para para salientar que aqueles que são evolucionistas se tornam fúteis em suas especulações, em sua narração de uma fábula. Seus corações e seus espíritos se tornaram escurecidos. Eles reivindicam uma sabedoria e conhecimento que eles não têm. Eles inventam histórias que não pode provar. Eles constroem um castelo de cartas tentando defender suas posições. Suas histórias são plausíveis e lógicas, mas nem todas as coisas que são plausíveis e lógicas são necessariamente verdadeiras.

Paulo escreve que aqueles que aceitam o evolucionismo são tolos. Hoje a palavra “tolo” não é necessariamente uma palavra forte. Mesmo a pessoa mais inteligente pode cometer um erro tolo de vez em quando. Se você dirigir-se à uma esquina e virar à direita quando deveria ter virado à esquerda, pode-se dizer que você fez algo tolo, bobo. Mas, essa não é a palavra que Paulo usou à 2.000 anos atrás. Em grego, Paulo escreveu que aqueles que aceitam o evolucionismo são “idiotas”. Uma tradução mais moderna seria que eles se tornam idiotas.

Essas palavras são duras, de fato. Como Paulo pode justificar uma retórica tão dura? Ele diz isso porque aqueles que conscientemente rejeitam a verdade da existência de Deus, trocaram a adoração ao único e verdadeiro Criador para o culto das coisas que Ele criou. Eles adoram árvores e animais, em vez de Deus. Eles mudaram a verdade de Deus em mentira.

Se você trocar uma mentira por uma verdade, isto é uma boa idéia. Se você trocar a verdade por uma mentira, é uma péssima idéia. Paulo declara em termos inequívocos, que aqueles que aceitam a evolução trocaram a verdade pela mentira. Eles tomaram uma péssima decisão, obviamente.

Existe esperança para aqueles que estarão abertos para aprender e corrigir crenças cridas anteriormente. Devemos acreditar que um homem ou mulher pode mudar. Se as pessoas estiveram dispostas à estudar coisas que foram proibidas à antes, se eles estiverem abertos à aprender sobre as interpretações que nunca antes tiveram permissão de considerar, então eles podem mudar. Uma pessoa intelectualmente honesta deve aceitar a verdade, gostem eles ou não. Uma pessoa intelectualmente honesta deve fazer isso, mesmo que isso não seja o que inicialmente ela começou a fazer.

Eu fui educado em escolas públicas e universidades seculares para ser um evolucionista. Eu graduei em ciências como evolucionista. Eu acreditei e ensinei isso desde o ensino fundamental até o nível universitário. Por que eu fiz isso?

Eu fui ensinado por homens e mulheres que detiveram a verdade em injustiça. Alguns deles fizeram inocentemente e sem malícia. Eles não pensavam sobre isso por si mesmos, mas simplesmente repetiam o que tinham sido ensinados a memorizar. Alguns deles fizeram aquilo apenas para receber  um salário e não se preocupavam sobre se isso era certo ou errado. Mas, alguns deles fizeram isso sabendo exatamente o que estavam fazendo. Para eles, isso era intencional e com malícia.

Eu não fui ensinado a pensar criticamente, fui ensinado a memorizar informações. Eu não fui ensinado a comparar as coisas e tomar uma decisão para a qual eu acreditaria em casos que exigissem fé. Eu não fui ensinado a pensar e olhar para as coisas, em todos os lados. Eu não fui ensinado que havia dois lados na questão das origens. Eu não fui ensinado com uma boa técnica educacional. Não foi educado, fui doutrinado.

Não é sábio as pessoas tentarem suprimir a verdade, nem é sábio enganar a si mesmo ou aos outros. Não é sábio tentar complicar os fatos, a fim de distorcer a verdade e apoiar a visão do mundo irreal do evolucionismo.

Uma pessoa intelectualmente honesta não pode rejeitar a verdade, simplesmente porque eles não gostam da verdade. Se um cientista ou um leigo olha para as provas com uma mente aberta, capaz de aprender e avaliar os fatos conhecidos e as evidências, ele deve aceitar que a criação recente do onisciente, onipotente, onipresente, oni-criterioso Criador, Deus da Bíblia, é a única causa suficiente para a existência de tudo no universo. Isto é completamente justificado pelo princípio mais universalmente aceito na ciência, o Princípio de Causa e Efeito.

Em I Tessalonicenses 5:21-22, Paulo escreveu aos tessalonicenses: “Examinai tudo. Retende o que é bom. Abstende-vos de toda a aparência do mal.”

Se o evolucionismo não se alinha com o que a Bíblia diz, então ele é mau. É mau porque está em oposição aos propósitos declarados por Deus. Existe apenas um padrão para o certo e o errado, e é a opinião de Deus. Se a tua opinião não se alinha com a opinião de Deus, então, a tua opinião está errada. Cada pensamento que você tem deve ser feito em obediência à Deus ou em desobediência a Deus.

Paulo elogiou os Bereanos em Atos 17:11: “Ora, estes foram mais nobres do que os que estavam em Tessalônica, porque de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia nas Escrituras se estas coisas eram assim.”

Todo mundo deve testar tudo com as verdades da Bíblia e aceitar ou rejeitar as coisas nesse sentido. No debate sobre as origens, podemos fazer as seguintes declarações: Todas as leis conhecidas da Ciência, todos os processos naturais conhecidos e todas as evidências físicas conhecidas podem ser previstas ou explicadas pela Teoria da Criação Especial. Nem uma única Lei da Ciência, nem um único processo natural, nem uma única evidência física (à não ser que se faça pequenas lindas historinhas sobre isso) pode ser prevista ou explicada pelas diversas várias teorias da evolução.

Postagem Original: http://www.creationworldview.org/articles_view.asp?id=163

Cristo Realmente Ressuscitou! (Evidências da Ressurreição)

Post 2015-12 - Evidencias da RessurreicaoCristo Realmente Ressuscitou! (Evidências da Ressurreição)

“Declarado Filho de Deus em poder, segundo o Espírito de santificação, pela ressurreição dentre os mortos, Jesus Cristo, nosso Senhor.” Romanos 1:4

Em 1815 a Europa inteira agonizava em suspense à espera de notícias sobre a batalhaiminente entre o Duque de Wellington e Napoleão Bonaparte, o imperador francês. Por mais de 25 anos, a Europa tinha se convulsionado por causa da revolução francesa, as execuções em massa dos nobres franceses, a guilhotina, e duas décadas de guerras napoleônicas, que haviam transformado a Europa inteira num campo de batalha. E, justo quando todos pensavam que a ameaça tinha acabado, com Napoleão derrotado e exilado na ilha de Elba, Napoleão retornou, reuniu um enorme exército e marchou para destruir o exército britânico que estava sob o comando de duque de Wellington. As pessoas aguardavam com grande expectativa por notíciasda terrível batalha que iria decidir o futuro de todos eles.

Um veleiro sinalizava com bandeiras codificadas o resultado da batalha decisiva. Umespecialista em sinais, ficava no topo da catedral de Winchester, decifrava a mensagem a partir de um navio no canal: “Wellington derrot …”, em seguida, a névoa escondeu o navio e aquela mensagem foi enviada às Ilhas Britânicas: “Wellington derrotado!” Choque e depressão se espalharam entre todos com onotícia devastadora. Em seguida, várias horas mais tarde, quando o nevoeiro se dissipou, o sinal foi concluído: “Wellington derrotou o inimigo”! Assim que a mensagem completa foi proclamada em todo o país, houve uma tremendacelebração. A vitória de Wellington em Waterloo marcou o início de 99 anos de pazna Europa Ocidental.

A ressurreição corporal de Jesus Cristo é tremendamente importante. A morte é o maior inimigo da humanidade, e ela venceu todos os seres humanos, exceto Jesus Cristo. Cidades e nações, assim como as pessoas, nascem e crescem por um período, e, em seguida, desaparecem. Casas, roupas, até mesmo veículos se desgastam, e eventualmente, voltam ao pó, assim como seus proprietários. A Bíblia descreve estereino da decadência e da morte como “a servidão da corrupção” (Romanos 8:21). Naciência ela é reconhecida como a segunda lei da termodinâmica, a lei da entropia crescente. Deixados por conta, qualquer sistema tende a se tornar desordenado, a decair e acabar morrendo. Todos os fundadores das grandes religiões e movimentos políticos morreram, e você pode visitar seus túmulos. Eles morreram e apodreceram na sepultura. Mas Jesus Cristo está vivo!

Então, talvez você pergunte, que diferença isso faz? A ressurreição de Jesus Cristo é de vital importância, pois demonstra a vitória de Cristo sobre a morte, dá esperançapara toda a humanidade, mostra que a vida eterna está disponível para os que crerem, aponta para o triunfo final de Deus sobre todo o mal, e fornece umaindiscutível prova de que a mensagem sobre Jesus Cristo, tanto como juiz como Salvador, é verdadeira. “Porquanto tem determinado um dia em que com justiça há de julgar o mundo, por meio do homem que destinou; e disso deu certeza a todos, ressuscitando-o dentre os mortos”. Atos 17:31

A ressurreição é tão importante e fundamental para o cristianismo que tem sido alvo dos ataques mais implacáveis. Frank Morrison, um advogado, estava determinado adesmentir a ressurreição e, assim, minar o cristianismo. O resultado de suas exaustivas investigações foi a sua própria conversão à Cristo e à publicação de seu livro: “Quem Moveu a Pedra?”, que demonstra decisivas e esmagadoras evidências da ressurreição.

Um professor universitário cético, Josh McDowell, decidiu refutar o Cristianismo, investigando as evidências contra a ressurreição. O resultado foi a sua própria conversão à Cristo e a publicação do livro monumental: “Evidências que Exigem um Veredito”, que exaustivamente e de forma conclusiva apresenta documentação e provas de evidências que justificam a verdade histórica, a exatidão factual, as evidências arqueológicas, as evidências dos manuscritos, as profecias cumpridas, as vidas transformadas, e outras evidências incontestáveis que apoiam o fato da ressurreição de Cristo dentre os mortos e as reivindicações do cristianismo sobre esta verdade.

Thomas Arnold, professor de História na Universidade de Oxford, um dos maioreshistoriadores do século 19, escreveu: “Não conheço nenhum fato na história da humanidade, melhor comprovado pela melhor, a mais completa evidência ou forma de prova, dentro da compreensão da um inquiridor íntegro, do que o grande sinalque Deus nos deu, de que Cristo morreu e ressuscitou.”

Simon Greenleaf, reconhecido como uma das mentes jurídicas mais qualificadas que já existiu, desenvolveu a Faculdade de Direito de Harvard. Ele é reconhecido como aautoridade máxima sobre o que constitui uma prova irrefutável. Simon Greenleaf fezuma análise aprofundada e exaustiva das provas objetivas e o testemunho dos escritores dos quatro Evangelhos, Mateus, Marcos, Lucas e João. Em seu livro: “O testemunho dos Evangelistas” (Baker, 1874), ele concluiu: “Portanto, era impossível que eles pudessem ter persistido na afirmação da verdade que narravam, se Jesus não tivesse realmente ressuscitado dos mortos, e se não tivessem conhecido este fatotão certo como eles sabiam de qualquer outro fato.”

Simon Greenleaf declarou que qualquer tribunal de justiça, se apresentada aevidência da ressurreição, teria que dar um veredito em favor da integridade eexatidão dos escritores do Evangelho e o fato da ressurreição.

Ben Hur, um dos livros mais populares já escrito, e um dos filmes mais bem sucedidos já produzido, resultou de um desafio ao General Lew Wallace sobre a autenticidade da ressurreição de Cristo, e um exame cuidadoso das evidências.

Quais são os fatos?

Os líderes religiosos, os fariseus e saduceus, que tinham feito uma campanha deconspiração com acusações falsas, para Jesus Cristo ser preso e executado, tinham interesses muito importantes em refutar qualquer alegação em favor da Ressurreição. Eles presumiram que a execução de Jesus iria eliminar a ameaça ao seu poder religioso e silenciar seus apoiadores. Esses líderes religiosos judeustinham uma grande preocupação à respeito do corpo de Jesus, e procuraram ogovernador romano, Pôncio Pilatos, solicitando um destacamento militar para proteger o túmulo (Mateus 28: 62-64).

A prioridade do governador romano da província da Judeia era de preservar a paz e a estabilidade. Ele reconhecia os problemas políticos inevitáveis, se alguma coisaacontecesse com esse mestre religioso à quem ele declarou três vezes ser inocente, e, finalmente, lavou as mãos diante da multidão, declarando: “Estou inocente do sangue deste homem” (Mateus 27:24 ). Sua esposa o havia avisado: “Não faça nadacom esse homem inocente, pois hoje sofri muito num sonho por causa dele.” (Mateus 27:19)

Pilatos estava bem consciente do falso julgamento que tinha sido instalado, e a última coisa que ele precisava era de uma análise negativa de sua condutavergonhosa e do abandono do dever nesse caso. Ter a certeza de que o corpo davítima iria permanecer sepultado era definitivamente um interesse político para Pilatos também. “E disse-lhes Pilatos: Tendes a guarda; ide, guardai-o como entenderdes.” Mateus 27:65

A Guarda Romana

Pela forma como o sumo-sacerdote e os chefes religiosos abordaram o governador romano, e o fato da palavra grega Koustodia ser usada para descrever odestacamento de soldados, mostra evidentemente que era uma guarda romana. Se somente tivessem usado os guardas do templo, então não teria havido necessidadede abordar Pilatos para ele emitir essa ordem. Além disso, a preocupação dos guardas, após a ressurreição, de serem protegidos do governador (Mateus 28:14) confirma que aqueles que guardaram o túmulo eram soldados romanos. O destacamento teria consistido de pelo menos dezesseis soldados, com quatro delescolocados diretamente em frente da entrada do túmulo, de plantão, o tempo todo.Sob a lei militar romana, qualquer soldado em guarda que abandonasse seu posto,ou adormecesse no exercício do dever, teria que enfrentar a execução. Normalmente, se os soldados romanos permitissem que um prisioneiro escapasse, eles enfrentariam a mesma sentença do prisioneiro, neste caso a crucificação.

O selo colocado sobre a pedra na entrada do túmulo representava a autoridade administrativa, e apenas um funcionário autorizado por Roma teria permissão de quebrar o selo. Qualquer pessoa que rompesse um selo romano sem permissão, seriaperseguido e executado.

Embora a intenção dos líderes religiosos e políticos tinha sido o de assegurar que o fenômeno de Jesus terminou no túmulo, suas medidas de segurança extraordináriasserviram apenas para confirmar a verdade de que eles tinham assassinado um homem inocente e que Jesus Cristo era verdadeiramente o Messias, o Filho do Deus Vivo, “o primogênito dentre os mortos e o soberano dos reis da terra … e aquele que vive e foi morto, mas eis aqui estou vivo para todo o sempre. Amém”.  Apocalipse 1: 5,18

“E, no fim do sábado, quando já despontava o primeiro dia da semana, Maria Madalena e a outra Maria foram ver o sepulcro. E eis que houvera um grande terremoto, porque um anjo do Senhor, descendo do céu, chegou, removendo a pedra da porta, e sentou-se sobre ela. E o seu aspecto era como um relâmpago, e as suas vestes brancas como neve. E os guardas, com medo dele, ficaram muito assombrados, e como mortos. Mas o anjo, respondendo, disse às mulheres: Não tenhais medo; pois eu sei que buscais a Jesus, que foi crucificado. Ele não está aqui, porque já ressuscitou, como havia dito. Vinde, vede o lugar onde o Senhor jazia. Ide pois, imediatamente, e dizei aos seus discípulos que já ressuscitou dentre os mortos. E eis que ele vai adiante de vós para a Galileia; ali o vereis. Eis que eu vô-lo tenho dito. E, saindo elas pressurosamente do sepulcro, com temor e grande alegria, correram a anunciá-lo aos seus discípulos. E, indo elas a dar as novas aos seus discípulos, eis que Jesus lhes sai ao encontro, dizendo: Eu vos saúdo. E elas, chegando, abraçaram os seus pés, e o adoraram. Então Jesus disse-lhes: Não temais; ide dizer a meus irmãos que vão à Galileia, e lá me verão.” Mateus 28: 1-10

Jesus Realmente Morreu?

Outros tem questionados se Cristo realmente morreu naquela cruz. Talvez Ele só tenha desmaiado? Essa teoria do desmaio quer nos fazer crer que os soldados romanos, que eram matadores profissionais, (o centurião responsável naquele dia, muito provavelmente supervisionou dezenas, se não centenas de execuções), haviam falhado em garantir que este prisioneiro político importantíssimo não morreu realmente. Considerando a crudelíssima flagelação, a tortura excruciante da crucificação, e o golpe de lança no seu lado direito, com sangue e água escorrendo, todos essa são evidências convincentes da morte.

No entanto, aqueles que defendem a teoria do desmaio nos querem fazer crer que alguém que tinha sofrido uma flagelação tão selvagem, uma crucificação, e um golpe de lança no coração, não só sobreviveu apesar da lendária eficiência militar romana (para matar), mas que também despertou numa laje fria dentro de um túmulo frio.Além disso, de alguma forma, ele se desvincilhou das roupas do sepultamento, dos 45 quilos de especiarias, pomadas e embalagens, que o tinham praticamente mumificado, conseguiu rolar a pedra de duas toneladas, vencido, ou iludido, os 16 soldados romanos, e de alguma forma encontrou e impressionou os discípulos comsua Divindade? Estas suposições apenas foram mencionadas, a fim de serem consideradas inacreditáveis.

O Túmulo Vazio

Para explicar o túmulo vazio, os inimigos do Evangelho tiveram de recorrer à algumas falsificações desesperadas. A primeira foi sugerir que os discípulos tinham roubado o corpo. Esta incrível teoria sugere que os mesmos discípulos que tinham pegado no sono lá no jardim, que fugiram quando Ele foi preso, que O negou diante de uma jovem, que estavam se escondendo de medo trancados numa sala, puderam dominar dezesseis soldados romanos profissionais treinados, se atreveram à quebrar um selo romano, removido uma pedra de duas toneladas, só para roubar um cadáver! Um Messias morto não teria servido absolutamente para nenhum propósito. Qual teria sido a possível motivação deles, mesmo que tivessem tido a capacidade de superar obstáculos militares, políticos e logísticos? Eles não tinham nada à ganhar e tudo à perder.Todos os discípulos sofreram cruéis perseguições, a maioria morreu como mártires da fé. Você morreria para defender uma mentira, sabendo que é uma mentira?

Outra tentativa desesperada de explicar a ressurreição de Cristo foi a de que elesforam ao túmulo errado. Todos eles. Maria Madalena, Pedro, João, as outras mulheres, todos foram ao túmulo errado. E de alguma forma, nem os fariseus, nem os saduceus, nem os soldados romanos, nem José de Arimateia, que era proprietário do túmulo, chegaram à considerar que o túmulo estava de fato ainda ocupado! No entanto, esta teoria também é impossível, como o túmulo não ficava num cemitério,mas em um jardim de propriedade particular de José de Arimateia. Não havia outratumba naquele jardim.

A Ausência do Corpo

E tudo o que os líderes judaicos e romanos tinham que fazer, a fim de acabar com o cristianismo para sempre, seria “aparecer” com um cadáver de Jesus. Mas eles não puderam fazer isso. Mesmo quando o apóstolo Pedro se levantou no dia de Pentecostes e proclamou: “Portanto, que toda a casa de Israel saiba com certeza que Deus fez a este Jesus, que vós crucificastes, Senhor e Cristo.” Atos 02:36. “Com grande poder os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus.” Atos 4:33. E muitos milhares em Jerusalém, incluindo muitos fariseus, creram em Jesus Cristo.

A Crise de Credibilidade

Para os líderes religiosos judeus, isso foi o seu pior pesadelo, um desastre. A proclamação da ressurreição de Jesus Cristo minou o poder e credibilidade deles.Milhares de seus seguidores acreditavam agora que haviam condenado um homem inocente, o próprio Messias. Essa nova religião, o Cristianismo, estava minando a base de poder e credibilidade dos fariseus e saduceus. Se o corpo de Jesus pudesse ser encontrado, então o cristianismo poderia ser liquidado em sua origem e a ameaçaao “status quo” religioso teria terminado. Uma vez que eles precisavam desesperadamente do cadáver de Jesus, os líderes judeus usaram de todos os meios à sua disposição para encontrá-lo, se isso fosse possível.

As Testemunhas Oculares

No entanto, não estamos lidando apenas com o túmulo vazio e a ausência do corpo, mas o depoimento de testemunhas oculares. Em pelo menos doze ocasiões separadas, Jesus Cristo foi visto depois de sair do túmulo. Maria Madalena (João 20: 11-18; Marcos 16: 9); as outras mulheres (Mateus 28: 8-10); Pedro (Lucas 24:34); os dois discípulos no caminho de Emaús (Lucas 24: 13-35); dez dos discípulos (Lucas 24: 36-43; João 20: 19-24); todos os onze discípulos, oito dias depois (João 20: 24-29); sete discípulos junto ao mar de Tiberíades (João 21: 1-23); a quinhentos deles de uma vez (1 Coríntios 15: 6); Tiago (1 Coríntios 15: 7); a todos os onze apóstolos, e outros, na Ascensão (Atos 1: 3-12); Paulo (Atos 9: 3-8); e João (Apocalipse 1: 12-18),todos viram o Senhor corporalmente, ressuscitado dentre os mortos.

Para desmerecer o testemunho de todas estas testemunhas oculares, os inimigos do Cristianismo sugerem que foram meras alucinações, talvez como resultado dehipnose ou histeria coletiva. No entanto, enquanto as alucinações tendem a serexperiências psicológicas específicas de um indivíduo, estamos aqui lidando com umgrande número de pessoas, que em momentos diferentes, em diferentes grupos, em locais diferentes, tanto dentro de edifícios ou ao ar-livre, no topo de uma colina, ao longo de uma estrada, na margem de um lago, todos viram o Senhor. Eles viram,comeram com Ele, viram as feridas em suas mãos e no seu lado.

E longe de ser ingênuo, parece que seus discípulos eram muito céticos e resistentesem crer. Tomé declarou que ele não poderia crer que Cristo tinha ressuscitado, a menos que ele, pessoalmente, colocasse os dedos nos buracos dos cravos em Suas mãos e pés e na ferida ao seu lado.

Não só temos o depoimento das testemunhas oculares, mas também a dramáticatransformação dos discípulos. A ressurreição de Cristo dentre os mortostransformou a tristeza dos discípulos em alegria, sua covardia em ousadia, seu ceticismo à fé e sua dúvida em confiança e determinação. Mudou Saulo, o perseguidor da igreja, em Paulo, o apóstolo da igreja.

Também transformou a sociedade e a história. Mudou o sábado judaico para o domingo cristão, o dia do Senhor. O que mais poderia explicar a substituição dosábado como o dia de descanso judaico para o domingo cristão, como o dia do Senhor? A Ressurreição transformou um remanescente judeu, na Igreja CristãUniversal. Mais de 2 bilhões de pessoas no mundo se declaram cristãos que creem na ressurreição de Cristo dentre os mortos. A própria existência do maior movimento religioso na história do mundo é outra poderosa evidência da verdade da ressurreição.

O próprio Jesus havia profetizado Sua Ressurreição dentre os mortos. E por causa de Seu cumprimento, podemos estar absolutamente certos de que Jesus Cristo é o Deus conosco, como ele mesmo declarou. Por Sua Ressurreição podemos saber que nossos pecados são perdoados pelo seu sangue derramado na cruz do Calvário: “E, como Moisés levantou a serpente no deserto, assim importa que o Filho do Homem seja levantado, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna”. João 3:14-16

Por causa da morte de Cristo na cruz podemos nos alegrar no fato de que os nossos pecados foram pagos. Somos perdoados e justificados pela fé.

Por causa da ressurreição de Cristo dentre os mortos podemos nos alegrar com a perspectiva de vida eterna.

Por causa da Ascensão de Cristo podemos saber que Ele tem toda a autoridade e que a Sua Grande Comissão será cumprida na terra.

Por causa da vinda do Espírito Santo no Pentecostes não precisamos confiar em nossas capacidades, mas em apenas em Seu poder. “Não por força, nem por poder,mas pelo meu Espírito, diz o Senhor.”

William Sangster, líder cristão e compositor de hinos, sofria de uma paralisia queacabou por impedi-lo até mesmo de falar. Em sua última Páscoa, antes de morrer,ele escreveu: “Quão terrível é acordar no dia da Páscoa e não ter voz para gritar: “ELE RESSUSCITOU”, mas muito pior do que isso é ter uma voz e não a vontade de gritar!”

Nós servimos um salvador ressurreto!

A morte foi derrotada. Cristo ressuscitou, vitorioso sobre a morte, o inferno e satanás.

Jesus Cristo é a Ressurreição e a Vida. Aquele que Nele crer, ainda que morra, viverá(João 11:25).

“Bendito seja o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo que, segundo a sua grande misericórdia, nos regenerou para uma viva esperança, pela ressurreição de JesusCristo dentre os mortos.” 1 Pedro 1: 3

por Dr. Peter Hammond

Jihad Vs Cruzadas

O Que Foram Realmente As Cruzadas?

Por Dr. Peter Hammond

011018_jihad300

Os equívocos mais populares sobre as cruzadas são de que elas foram guerras agressivas de expansão lutadas por fanáticos religiosos, a fim de expulsar os muçulmanos de seus próprios países e forçá-los à se converterem ao cristianismo. Aqueles que realmente acreditam em qualquer desses conceitos demonstram sua ignorância da história.

UMA REAÇÃO À JIHAD

Os cruzados reagiram contra mais de quatro séculos de incessantes Jihads islâmicas (guerra santa), que já haviam matado mais de 50% de todos os cristãos do mundo e conquistado mais de 60% de todas os territórios cristãos – tudo isso antes da primeira cruzada acontecer. Muitas das cidades libertadas ainda eram mais de 90% cristãs, quando os cruzados chegaram. O Oriente Médio foi o berço do Cristianismo. Foram os cristãos que tinham sido conquistados e oprimidos pelos turcos seljúcidas. Muitas das cidades no Oriente Médio deram receberam os cruzados como libertadores.

Muito diferente da visão dos cruzados terem sido os agressores, foram os exércitos muçulmanos que espalharam o Islã da Arábia Saudita para todos os países cristãos do norte da África, Espanha e até mesmo na França, apenas um século após a morte de Maomé. Os exércitos muçulmanos saquearam e mataram em seu caminho algumas das maiores cidades cristãs no mundo, incluindo Alexandria, Cartago, Antioquia e Constantinopla. Esses invasores muçulmanos destruíram mais de 3.200 igrejas cristãs apenas nos primeiros 100 anos de islamismo.

GUERRA DE DEFESA

Como o professor Thomas Madden ressalta em “A Real História das Cruzadas”: “As campanhas das cruzadas no Oriente foram, em todos os sentidos, guerras defensivas. Elas foram uma resposta direta à agressão islâmica – uma tentativa de reagir e se defender contra as conquistas muçulmanas nas terras cristãs. Os cristãos no século 11 não eram fanáticos paranoicos. Os muçulmanos realmente os estavam atacando. O Islã nasceu pela guerra e cresceu dessa forma. Desde a época de Maomé, a forma de expansão muçulmana foi sempre pela espada. O cristianismo era a religião dominante do poder e da riqueza, e por isso o mundo cristão era um alvo principal dos primeiros califas, e iria permanecer dessa forma pelos líderes muçulmanos nos próximos mil anos. As cruzadas não foram outra coisa senão uma resposta para quatro séculos de conquistas, nas quais muçulmanos já haviam capturado mais de dois terços do mundo cristão”.

PENSANDO O IMPENSÁVEL

Como o jornal London Telegraph destaca: “Uma visão mais realista da história exige menos fantasia retrospectiva e mais trabalho cerebral. Significa que você deve forçar a tua visão para ver o que motivava homens e mulheres séculos atrás. Tente pensar o impensável – que os cruzados estavam certos, e que deveríamos ser gratos a eles.”

AMOR CRISTÃO E AUTO-SACRIFÍCIO

O professor Jonathan Riley-Smith explica que as cruzadas foram um “ato de amor ao próximo”. Foram atos de misericórdia para reparar um mal terrível. Um líder da Igreja escreveu para os Cavaleiros Templários: “Você realizam em obras as Palavras do Evangelho”, que dizem “não existe maior amor do que este, ou seja, um homem dar a sua vida pelos seus amigos”.

O professor Riley-Smith ressalta que os objetivos das cruzadas foram, em primeiro lugar, para resgatar os cristãos do Oriente: “Muitos milhares de cristãos estão ligados à escravidão e aprisionados pelos muçulmanos e torturados de inúmeras formas, e em segundo lugar foi a libertação de Jerusalém e outros lugares sagrados. Os cruzados medievais viam-se como peregrinos, restaurando de volta ao Senhor Jesus Cristo, a Sua propriedade. “A conquista de Jerusalém pelos cruzados, portanto, não era colonialismo mas sim um ato de restauração e uma declaração aberta de amor à Deus. Muitas vezes, presume-se que o objetivo central das cruzadas foi a conversão à força do mundo muçulmano. Nada poderia estar tão distante da verdade. Do ponto de vista dos cristãos medievais, os muçulmanos eram os inimigos de Cristo e Sua Igreja. Era tarefa dos cruzados derrotá-los e se defender deles. Foi isso. Os muçulmanos que viviam nos territórios conquistados pelos cruzados eram geralmente autorizados a manter seus bens, propriedades e meios de subsistência, e também sua religião.”

CONTRA TODAS AS PROBABILIDADES

Quando pensamos sobre a Idade Média, nós inevitavelmente vemos a Europa à luz do que ela se tornou em vez de como ela era. O fato é que a superpotência da era medieval era o Islã, e não a cristandade. As cruzadas foram uma guerra contra todas as probabilidades, com incrivel e imensamente distantes rotas de suprimento e a logística totalmente inadequada. Foi uma empreitada de Davi contra Golias desde o início. As chances de sucesso da primeira cruzada eram altamente improváveis. Eles não tinham um líder, nenhuma cadeia de comando, nem rotas de abastecimento e nenhuma estratégia detalhada. A primeira cruzada consistia simplesmente de milhares de guerreiros dedicados marchando para dentro do território inimigo, à milhares de quilômetros de casa. Muitos deles morreram de fome, doenças e ferimentos. Foi uma campanha duríssima que sempre esteve à beira de um desastre.

“No entanto, ela foi milagrosamente bem-sucedida. Por volta de 1098, os cruzados haviam restaurado Niceia e Antioquia ao controle cristão. E em julho de 1099 eles reconquistaram Jerusalém e começaram à construir um estado cristão na Palestina.”

UM JULGAMENTO DE DEUS

Quando Jerusalém foi conquistada por Saladino em 1187, os cristãos de toda Europa acharam que Deus os estava punindo por seus pecados. Inúmeros movimentos leigos surgiram em toda a Europa, dedicados à purificar a sociedade cristã de modo que ela pudesse tornar-se digna de uma vitória no Oriente.

O professor Madden, da Universidade St. Lewis, autor de “Uma História Concisa das Cruzadas” observou: “É fácil, muitos séculos depois, fazer cara-feia contra as cruzadas. Afinal de contas, religião nada mais é do que guerras. Mas devemos estar conscientes que os nossos antepassados medievais teriam ficado igualmente enojados com nossas guerras infinitamente mais destrutivas travadas em nome de ideologias políticas. Se nós admiramos os cruzados ou não, é fato que o mundo como conhecemos hoje não existiria sem os seus sacrifícios. A antiga fé cristã, com seu respeito pelas mulheres e oposição à escravidão, não só sobreviveu, mas floresceu.” Mas se não fosse pelos cruzados, a Europa provavelmente teria caído diante do Islã e o ocidente cristãos nunca teriam existido.

APRENDER À DISCERNIR

O Dr. Ted Baehr, do Movieguide, aconselha os telespectadores à serem “sábios o suficiente com a mídia, para rejeitar o revisionismo histórico. O problema é que as gerações futuras podem acabar aceitando essa propaganda anti-cristã “politicamente correta”.

MAOMÉ VERSUS CRISTO
Em seu artigo “Ódio, Revisionismo Histórico e Cristofobia no filme O Reino dos Céus”. O Dr. Ted Baehr mostra algumas diferenças entre Maomé e Jesus Cristo:

“Maomé foi o profeta da guerra, Jesus Cristo é o Príncipe da Paz”. (Isaías 9:6-7)

Os discípulos de Maomé mataram por sua fé, e os de Cristo morreram por sua fé. (Atos 12:2; 2 Tim. 4:7)

Maomé promoveu perseguições contra os “infiéis”, mas Cristo perdoou e converteu o chefe dos perseguidores. (1 Tim. 1:13-15)

Maomé foi um ceifador de vidas, mas Jesus foi o doador da vida. (João 10:27-28)

Maomé e seus guerreiros assassinaram muitas centenas de milhares, mas Cristo jamais matou alguém e salvou à muitos. (João 12:48)

O método de Maomé era a coerção, o de Cristo a conversão. (Atos 3:19)

Maomé pregava à força, Cristo pregou a Fé. (João 6:29, 35)

Maomé era um guerreiro, Cristo foi um libertador. (Col. 1:13; 1 Tess. 1:10)

Maomé dizia às multidões, “Convertam ou morram!”; Cristo dizia, “Creiam e vivam!” (João 6:47; 11:25-26)

Maomé derramava o sangue de outros (Rom. 3:15-17); Cristo derramou Seu próprio sangue para salvação de muitos. (Ef. 1:7)

Maomé pregava “Morte aos infiéis!”; Cristo pregava “Pai, perdoe-lhes, porque não sabem o que fazem.” (Lucas 23:34)

Maomé conclamou uma guerra santa (Jihad) contra os infiéis; Cristo alcançou uma vitória santa na Cruz do calvário (Col. 2:14-15) e Seus seguidores são participantes dessa vitória. (João 16:33)

Maomé constrangeu seu povo pela conquista, e Cristo constrangeu pelo amor. (2 Cor. 5:14)

Os terroristas modernos se inspiram em Maomé e cometem suas atrocidades horríveis em nome do seu deus, mas os cristãos se inspiram Naquele que disse, “Bem-aventurados são os pacificadores.” (Mateus 5:9)

Os discípulos de Maomé dos nossos dias celebram nas ruas, os ataques terroristas cometidos por islâmicos, mas os discípulos de Cristo dos dias de hoje lamentam profundamente pelas atrocidades cometidas no passado por aqueles que eram “cristãos” só de nome (parte dos cruzados, a inquisição espanhola, etc.).

Muitos muçulmanos são pacíficos e amantes da paz porque não seguem estritamente os ensinos do seu fundador. Muitos cristãos são pacíficos e amantes da paz porque seguem estritamente os ensinamentos de seu fundador. (Rom. 12:17-21)

Maomé convocou seus seguidores à guerra, já Jesus disse, “Meu Reino não é deste mundo. Se meu Reino fosse desse mundo, meus servos lutariam por ele…..mas agora meu Reino não é daqui.” (João 18:36)

Maomé ordenou a morte dos judeus (veja A. Guillaume, A Vida de Maomé, Oxford University Press [1975], pág. 369); Cristo ordenou que o Evangelho fosse pregado “primeiro aos judeus”. (Atos 1.8, Rom. 1:16)

O Corão diz, “Lutem contra os pagãos e matem-nos onde os acharem” (Qu’ran 9.5); Cristo disse, “Preguem o Evangelho à toda criatura.” (Marcos 16:15)

A missão de Maomé foi de conquistar o mundo para Alá, e a de Cristo de destruir o poder do pecado através de seu sacrifício em nosso lugar (2 Cor. 5:21; 1 Ped. 3:18).

Maomé declarou que há um só deus, Alá, mas Jesus disse que Ele era Deus. (João 10:30-31; João 8:58-59; João 5:18; João 14:9)

O túmulo de Maomé está OCUPADO! O túmulo de Cristo está VAZIO!

A JIHAD VS O EVANGELHO

A palavra “cruzada” não aparece na Bíblia e nem é um mandamento. No entanto a Jihad é o sexto pilar do islã e o segundo maior mandamento de Maomé. Ela não é recomendada, mas ordenada no Corão.

As cruzadas já terminaram à muitos séculos atrás. No entanto a Jihad Islâmica é realizada até hoje. Milhões de cristãos foram assassinados ao longo dos séculos por militantes islâmicos – como os 1,5 milhões de cristãos armênios assassinados na Turquia em 1915. Os cristãos continuam à ser abatidos por militantes islâmicos na Indonésia, Filipinas, Sudão, Síria, Iraque, Quênia e Nigéria até os dias atuais.

Portanto, antes dos cristãos acharem que devem pedir desculpas pelas cruzadas, que aliás já acabaram à mais de 700 anos, seria sensato primeiro aprender pesquisar fontes confiáveis sobre o que foram realmente as cruzadas, e estudar os ensinamentos islâmicos e históricos sobra a Jihad durante os últimos 14 séculos. O livro “A Escravidão, o Terrorismo e o Islã – As Raízes Históricas e a Ameaça Contemporânea”, proporcionaria uma boa introdução. Aqueles que não conhecem seu passado não tem futuro.

Para uma análise das distorções teológicas e históricas no épico de Ridley Scott, e a propaganda anti-cristã contra as cruzadas, veja: O Reino dos Céus – Uma Cruzada de Hollywood Contra o Cristianismo.

 

– Original: http://www.creationworldview.org/articles_view.asp?id=170#sthash.8ZVt47vB.dpuf

A Terra e o Mundo Pertecem ao Senhor

Happy group of finger smileys 2

Quem é o dono da comunidade?

Salmo 24.1-6

1 Do SENHOR é a terra e tudo o que nela existe, o mundo e os seus habitantes.

2 Ele próprio fundou-a sobre os mares e firmou-a sobre os rios.2

3 Quem pode subir ao monte do SENHOR? Quem pode ficar de pé no seu santo lugar?

4 Aquele que tem as mãos limpas e o coração puro, e não se entrega à mentira, nem age com falsidade.

5 Este receberá do SENHOR a bênção, e Deus, o seu Salvador, lhe fará justiça.

6 Estes são aqueles que o buscam, que procuram a tua face como Jacó, ó Deus.

 

O governo? As pessoas? Não!

Deus é o dono da comunidade. Ele fez a comunidade. Ele possui todas as coisas, ele criou todas as coisas. Ele é a autoridade máxima. E Ele nos deu a autoridade para governar a Terra.

Não apenas a Terra, mas o Mundo.

O Mundo não é a Terra, mas o sistema que move tudo à nossa volta.

A única forma de servir a Deus é servir a mais alguém.

 

Mateus 25.31-40

31 Quando o Filho do homem vier em sua glória, com todos os anjos, então, se assentará em seu trono na glória nos céus.

32 Todas as nações serão reunidas diante dele, e Ele irá separar umas das outras, como o pastor separa os bodes das ovelhas. 

33 E posicionará as ovelhas à sua direita e os bodes à sua esquerda.

34 Então, dirá o Rei a todos que estiverem à sua direita: ‘Vinde, abençoados de meu Pai! Recebei como herança o Reino, o qual vos foi preparado desde a fundação domundo.

35 Pois tive fome, e me destes de comer, tive sede, e me destes de beber; fui estrangeiro, e vós me acolhestes. 

36 Quando necessitei de roupas, vós me vestistes; estive enfermo, e vós me cuidastes; estive preso, e fostes visitar-me’. 

37 Então, os justos desejarão saber: ‘Mas, Senhor! Quando foi que te encontramos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te saciamos?

38 E quando te recebemos como estrangeiro e te hospedamos? Ou necessitado de roupas e te vestimos?

39 Ou ainda, quando estiveste doente ou encarcerado e fomos ver-te?’. 

40 Então o Rei, esclarecendo-lhes responderá: ‘Com toda a certeza vos asseguro que, sempre que o fizestes para algum destes meus irmãos, mesmo que ao menor deles, a mim o fizestes’.

 

Deus disse a Moisés: eu ouvi o clamor do meu povo, eu vi a miséria dele.

 

Êxodo 3

7 Disse o SENHOR: “Certamente tenho observado a opressão e a miséria sobre meu povo no Egito, tenho ouvidoseu clamor, por causa dos seus feitores, e sei o quanto estão padecendo. 

8 Por esse motivo desci a fim de livrá-los das mãos dos egípcios e tirá-los daqui para uma terra boa e vasta, onde mana leite e mel: a terra dos cananeus, dos hititas, dos amorreus, dos ferezeus, dos heveus e dos jebuseus.

9 Porquanto agora o clamor dos filhos de Israel chegou até mim, e também contemplo a opressão com que os egípcios os estão submetendo e fazendo sofrer.  

10 Vai, pois, imediatamente: Eu o envio ao Faraó para tirar do Egito o meu povo, os filhos de Israel!”

11 Moisés, contudo, interpelou aDeus: “Quem sou eu para me apresentar diante do Faraó e fazer sair os israelitas das terras do Egito?”

12 Assegurou-lhe Deus: “Eu estarei contigo! Esta é a prova de que Sou Eu quem te envia: quando fizeres o povo sair do Egito, vós prestareis culto a Deus neste mesmo monte”.

 

Moisés estava muito feliz porque Deus iria descer pra resolver, porém ele disse que enviaria a Moisés. Ele começou a dar desculpas.

Quem pode subir no Monte do Senhor e Permanecer de Pé no seu Santo Lugar?

Nós não somos somente a Igreja. Nós somos a comunidade!

 

Exemplo de Watoto

Os líderes de células em Watoto vão aos líderes da comunidade e dizem: você é o líder, nós somos a comunidade (não dizem: somos a Igreja), a comunidade tem problemas, como podemos ajudar a resolver isso?

Escolhem um dos projetos, escolhem um dia e vão juntos com as pessoas da comunidade resolver o problema. Mas eles não vão em nome da Igreja, vão como comunidade. Mas as pessoas não são burras e sabem que eles são da Igreja. E a unção flue naturalmente.

Certa vez as paredes da Igreja começaram a ruir e a comunidade ajudou a Igreja.

 

Os fariseus tinham medo de pegar Jesus pois temiam a comunidade.

Encontre os problemas da sua comunidade e resolva.

Você não precisa de um grau universitário para ajudar alguém, nem ter todas as respostas, só precisa amar a comunidade.

Você precisa liderar uma célula. Os líderes devem ser treinados para serem líderes não somente das células, mas líderes locais nos lugares onde estiverem.

A Igreja está cheia de pessoas para mudar a nação.

 

Deus abençoe!

Seminário EKLÉSIA 2015

ID 2016 - LOGO

O QUE É?

Marcos 16.15

O que pregar? Quando devo pregar? Onde devo pregar? Porque pregar? Do que preciso para começar?

 

As respostas a estas perguntas serão respondidas neste seminário.

 

QUEM DEVE IR?

Todos os crentes. Todos aqueles que receberam a nova vida em Cristo e, através dEle, o poder de serem feitos Filhos de Deus.

 

Quando?

De 20 à 22 de novembro de 2015.

 

Local

EKLÉSIA Ministério internacional

A Páscoa da Cruz

A celebração de Páscoa deste Domingo, 20 de Abril, foi regida por alguns dos hinos que marcaram a história de pessoas que amaram a Cruz, como “A Mensagem da Cruz”, versão em português da canção The Old Rugged Cross (Rude Cruz), composta pelo norte-americano George Bennard, entre outras.

Seguiram-se duas apresentações: a representação da Páscoa judaica pelas crianças do ministério Eklésia Kids, baseada no trecho de Êxodo, capítulo 12, em que foi registrada a décima e última praga lançada sobre o Egito, a morte dos primogênitos, determinante para a libertação do povo judeu, e a coreografia realizada pelo ministério Dança da Noiva, enfatizando a imagem de Cristo como nosso Cordeiro sacrificial sem mácula, na música Getsêmani (Leonardo Gonçalves).

O Pr. Guilherme Tavares introduziu as ministrações com uma palavra sobre oferta, lembrando-nos que:

O dinheiro não é um bem (no sentido de posse) _ é apenas um instrumento. Podemos usá-lo para adorar ao Senhor, ministrando uma canção a Ele.

Pois, como está escrito em Hebreus 11.4, a oferta de Abel foi de tal modo agradável a Deus, que ele alcançou testemunho de homem justo e, através dela, mesmo depois de morto, ainda fala.

 

Quanto à pregação sobre Páscoa, a mensagem transmitida pela Pra. Gláucia Rosane foi:

Alguns preferem se lembrar da Páscoa pela ressurreição; mas é bom falar da cruz para nos lembrar que somos pecadores.

“Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte?” (Romanos 7.24). JESUS!

O apóstolo Paulo não falava da morte física, mas da morte espiritual trazida pelo pecado. Por isso Ele se entregou por nós! Ele sabe que somos incapazes de cumprir votos e fazer sacrifícios, porque sabe que somos falhos em tudo… e ainda continua nos amando.

Por causa de nossas atitudes somos dignos de ir para o inferno. Pecamos sem ninguém ver, mas só Deus sabe o que se passa em nossas mentes…

Somos péssimos pecadores e, quando queremos ser legalistas somos piores ainda. Então, Jesus pega tudo e diz: “Deixa eu tomar conta disso e disso… Você não sabe cuidar das coisas espirituais.”

Nós precisamos de um Salvador, porque não somos bons. Vá somando suas falhas diárias… Essa é a nossa condição _ pecadores. Devemos ter consciência de que se os pecadores não buscarem a Jesus, eles irão para o inferno.

Como Jesus foi perfeito para sofrer e morrer por nós. Somente o sacrifício de um justo pelos injustos poderia nos livrar do inferno.

Se nossas obras são más, mesmo crentes, o que fazer para ser salvo? Todos os dias devemos nos converter a Jesus e pedir que Ele nos salve, porque não prestamos. O Senhor olhou para a terra e viu que não havia um justo sequer, mas olhou para a Sua Glória e em Sua Beleza viu Jesus, e decidiu que este seria o sacrifício por nós.

Quem daria o filho por um estrupador? Por um ladrão? Se a comunidade encontra um malfeitor desse, agride e, se a mãe chega pedindo misericórdia, dizem: “ladrão não tem parente!” Mas Jesus decide acolher esse pecador.

Por fim,  os representantes de cada família receberam pacotes com pão sem fermento e um pouco de vinho sem álcool, à simbologia do corpo e do sangue de Cristo.

Feriado da Faxina _ Pessah (Páscoa)

É preciso que haja um começo para que exista um fim _ este é o desígnio de nossas vidas.

Armando Sodré

Assim, começou a pregação do querido líder da Rede de Jovens da Eklésia Ministério Internacional, o irmão Armando Sodré, em nossa celebração de Pessah (Páscoa).

Conhecer o verdadeiro sentido da Páscoa é um dever que cabe a todo cristão _ precisamos entender quando tudo começou. É necessário que saibamos que a Páscoa, reduzida a uma simbologia comercial de um “coelho que põe ovos”, se refere, não a chocolates superdecorados e recheados de surpresinhas, mas ao sacrifício de Cristo, nosso Cordeiro Pascal, a quem devemos a honra e a glória de termos sido reconciliados com o nosso Pai e Criador. Foi na cruz em que Jesus, o Filho de Deus, se deixou ser pregado e humilhado que recebemos a nossa Salvação _ este é o nosso COMEÇO.

Baseando-se no livro de Êxodo, no capítulo 12, do versículo 1 ao 14, o irmão Armando Sodré desenrolou a história da promessa de nossa Salvação, em que, através de Pessah (ou Páscoa) _ festa que, profeticamente, celebrava a libertação do povo judeu da escravidão no Egito (e o livramento da morte de seus primogênitos, a última praga que Adonai  enviara sobre os egípcios) _ o Senhor estabeleceu a sua aliança através do sangue de um cordeiro sem mácula _ a imagem figurada do próprio Jesus Cristo, em sua oferta sacrificial pela libertação da humanidade pecaminosa.

Segundo o entendimento revelado nesta noite, a Páscoa é o começo de TUDO (Êxodo 12.2). Devemos celebrá-la, por que nos faz lembrar de quem éramos quando vivíamos num sistema de escravidão, num lamaçal de pecado, mas ficamos saturados de pecar e resolvemos mudar. Essa mudança se refere ao momento em que tomamos para nós o Cordeiro.

[…] Tomar o Cordeiro para si significa desprezar as tentações do mundo, esquecer das coisas “boas” que nós fazíamos no mundo. Lembrar dessas coisas é abrir uma porta para o inimigo entrar em nossas vidas, e nos fazer cair de novo. Ter saudade das coisas do mundo não é para quem tomou o Cordeiro para si… Ele é a nossa Páscoa! Ele é o nosso novo começo. Se entregou por nós…  o Senhor nos dá a alegria da Salvação _ a Páscoa nos tira do sistema do Egito, do sistema do mundo. Jesus muda TUDO _ as coisas velhas se passaram, eis que tudo se fez NOVO (2 Coríntios 5.17)!

[…] Vida limpa _ sem fermento, sem pecado (1 Coríntios 5.7)! Não ficar escondendo fermento em casa, não esconder pecados no coração. Precisamos comer a Páscoa com pressa (Êxodo 12.11) _ precisamos ter pressa para deixar o pecado! Você já deu uma “geral” na sua casa? […] Deus discerne tudo dentro do homem, mas quem deve fazer a faxina somos nós.

[…] Páscoa é a festa da liberdade. Isso não significa fazer o que quiser e quando quiser. A verdadeira liberdade é acompanhada de leis para nos deixar no EIXO, senão, viveríamos no caos. Não sabemos viver em liberdade sem leis, pois a vontade de nossa carne é ser livre para fazer coisas ruins. Fazer o que se quer e quando se quer não é liberdade, é escravidão de pecado. […] Não existe liberdade sem instrução, por que nos afastaríamos da presença de Deus.

[…] O propósito da nossa liberdade é servirmos uns aos outros (Gálatas 5.13). […] Fomos libertos para a glória de sermos filhos de Deus (Romanos 8.20,21). […] Jesus veio para que pudéssemos ser livres, não libertinos, e para que experimentemos duma vida boa, agradável e destinada ao sucesso, pela Vontade de Deus. A nossa aventura é viver TODO o propósito de Deus! […] O propósito da Salvação é mais do que poder dizer: “eu vou pro céu”, mas é viver seu tudo. A PÁSCOA é o começo, TABERNÁCULOS é o auge… poder, assim como Moisés, ter o rosto reluzente após falar com Deus.

Armando Sodré

Terminada a ministração, seguiu-se um ato profético e de representação da Páscoa em nossas vidas, em que todos os jovens comeram uma folha de rúcula, cujo sabor amargo relembra um passado de pecado, superado pelo sabor de um doce, representando a nova etapa de nossas vidas, a alegria da Salvação pela superioridade do sangue de Cristo sobre toda obra da carne.

É claro que um culto de jovens não podia terminar sem algumas músicas de adoração que não permitiram ninguém ficar com os pés no chão. Afinal, que sirvamos nossos “corpos como sacrifício VIVO, SANTO e AGRADÁVEL a Deus” (Romanos 12.1).